O assunto de hoje é uma delícia e fala da grande estrela da decoração. Pequeno ou grande, de massa branca, chocolate, red velvet e afins, independente do recheio, eles são a grande sensação da festa e muitos não se conformam em voltar para cada antes de prová-lo. No dia seguinte da festa, além dos pés doendo, outra coisa é certa: Você vai acordar querendo comer uma fatia de bolo!

Há quem diga por aí que prefere um bolo bonito a um bolo gostoso – cake designers amigas, não me esganem, rs, eu sou uma delas! – mas é claro que quando ele não deixa a desejar também no sabor, a satisfação é completa e o público vai ao delírio.

Hoje em dia as opções são tantas que algumas mesas ganham mais de um modelo e as dúvidas são muitas. Para esclarecê-las, reuni algumas fotos de babar, junto a minha singela pesquisa e opinião e vou dividir com vocês um pouco sobre esse mundo mágico dos bolos. 


O bolo fake ou cinematográfico pode ser feito tanto em biscuit, quanto em pasta americana. Ambos são feitos em bases de isopor e não são comestíveis, a não ser que você adore o gosto da pasta americana. As principais diferenças, além da matéria prima é que um, quando bem conservado, dura para sempre, o outro tem prazo de validade bem curto e normalmente uma cake designer não trabalha modelando porcelana fria, assim como uma artesã modelando massa de açúcar. 

Bolo fake em biscuit – Ateliê de Bolos da Lu

Pasta americana, é feita a base de açúcar e outros ingredientes e pode ser caseira ou industrializada, estando disponível em diversas marcas e cores no mercado. Ela é vendida em lojas especializadas.

Por ser uma massa muito maleável, permite ao cake designer modelar da maneira que quiser o que quiser. Alguns são tão habilidosos que conseguem fazer verdadeiras obras de arte com ela utilizando as mais variadas técnicas. 

Lindo bolo feito por Mila Bast, da Pêpo&Lu.; Eu e Mila
temos um projeto super especial para o meu aniversário, mas na versão fake.

É importante ressaltar que dificilmente alguém consegue reparar a diferença entre um e outro, a não ser que chegue perto.

Esses bolos ganharam os corações de mães e decoradores, estão estrelando batizados, aniversários, chás e até casamentos. Virou uma febre, é a grande sensação do momento. Pudera, são lindos, e por experiência posso dizer que são cheirosos e gostosos!

Bolo naked significa bolo pelado, bolo nú, é um bolo sem cobertura, apenas com calda, recheio – transbordante – e muitas frutas lindas da estação, por vezes com uma nevinha de açúcar de confeiteiro para finalizar.. A massa normalmente é pão-de-ló.

É um bolo que combina muito com chá da tarde, ou é coisa da minha cabeça? Rs
Fico imaginando uma linda mesa de chá, com pratos e talheres bem colocados, linda toalha com minúsculos bordados a mão e ele em um pratinho com pé alto, de vidro bico de jaca, estilizado.

As ‘blogueira festeira’ viaja! =)

Bolo naked de Jorge Casquilho


Eu sei gente, esse nome é contraditório já que todos os bolos são feitos a mão, se não as massas e os recheios, as modelagens, decorações são, mas esse em especial foi chamado dessa forma e resgata uma técnica antiga, passada de mãe para filha, confeitar com bicos de confeiteiro, colheres e espátulas, para dar forma e textura. 

Lembro muito da minha mãe quando criança confeitando bolos lindos, para alguns alguns alguém ampliava o desenho para ela em papel fino, e ela passava para o bolo já com as laterais pitangadas e ganhava contorno de creme de ameixa para definir bem o personagem. Eu adorava observar e ela tinha talento, tive um bolo da luluzinha assim, lindo de viver. Te amo mãe! <3

Um lindo exemplo de bolo handmade é esse que vem sendo feito com cobertura de creme de manteiga, conhecido como buttercream. Além de espetacularmente lindo e delicado, é gostoooooso  o único porém é que por sua cobertura ser muito delicada, é complicado pedir um desses no verão, principalmente se o local não tiver ar condicionado, a cobertura não resiste muito tempo. Super dica, heim?

Glacê de mármore, hidrogenado ou real, eram as coberturas mais utilizadas para confeitaria. Ainda hoje, muitos profissionais fazem esses glacês e dominam técnicas de confeitar com bico de confeiteiro e nas palavras do Cake Boss, são old school baby! rs

Bolo confeitado com bicos
Glacê de mámore, meu favorito!


Sei que muitos de vocês se perguntam como as boleiras fazem trabalhos tão complexos e perfeitos, que nem parecem feitos a mãos. Pois é, alguns não são mesmo, são feitos com uma “impressora” de pasta americana, chamada cricut cake.

A cricut não corta apenas pasta americana, ela corta folhas de glacê e fondant, massa de biscoito, queijo, chocolate de modelagem, goma, massa de biscuit e vários doces macios. Esta máquina corta materiais de alimentos moles.


Ela existe em dois tamanhos, mini e tradicional e cursos são ministrados no brasil e no mundo para ensinar as maravilhas que ela faz. Quem quiser conhecer mais, pode dar uma olhada nos tutoriais no youtube.

A cricut está para os cake designers, assim como a silhouette está para os artesãos e crafters, mas isso é assunto para um outro post. =)


Acho o máximo a tecnologia ter avançado tanto possibilitando que os profissionais deem asas a imaginação criando projetos maravilhosos e mirabolantes.

Gostaria de aproveitar a oportunidade para ressaltar que isso em nada desmerece o talento desses artistas que trabalham com bolos, até porque eles precisaram sair da zona de conforto, buscar novos cursos, passar por novas experiências, fazer inúmeros testes para que possam nos oferecer melhorias, lindezas e novidades seguras. 

Umas outras inovações mais simples, mas igualmente fofas são as massas coloridas e com desenhos, e a técnica é muito bacana, esses dias até falei sobre isso no meu perfil pessoal e como minha amiga Verinha, da Puro Doce me explicou como é feito, achei super divertido levantar a questão e curtir as respostas. Estou falando disso:


Márcia, da Doce Deleite Fotografia é a mestra do bolo arco íris,
sempre faz e todos adoram! <3


Quem diria que um assunto tão simples como esse poderia render tanta informação, não é mesmo? Mas não parou por aí, tem várias coisas bacanas que eu quero dividir com vocês e com certeza não terei falado sobre tudo. 

As massas dos bolos mais comuns são brancas ou de chocolate, mas existem massas de cenoura, nozes. Bolos de frutas  e de cenoura, por exemplo, são ótimas opções para cafés da manhã e festinhas em casa ou ao ar livre. Elas traduzem uma sensação de informalidade, de bolo feito em casa e frescor que super combina com esses tipos de comemorações. 

Assim como existem várias maneiras de confeitar, existem também vários tipos de massas para bolo: pão de ló, massa francesa, amanteigada e um tipo de merengue assado. Cada uma delas possibilita uma criação.

Existe ainda uma massa super especial chamada Red Velvet, conhecida como veludo vermelho, feita a base de geléia de framboesas, de sabor delicado e cor que pode atingir a intensidade que desejarem. Além de saborosa, é linda, combina perfeitamente com o bolo naked e confere um ar super sofisticado. 
Para fechar com chave de ouro essa publicação, vou mostrar para vocês mais um bolo das antigas e um que é queridinho e ganhou o coração de todos:

Charlote Cake
Bolo Charlote, bolo feito com biscoito champagne, criado na década de 90.

Kit Kat Cake, queridinho dos chocolatras, e as maneiras mais legais de decorá-lo:

Morri de amor por esse, achei lindo!!

Quem trabalha como cake desginer deve ter em mente a importância do papel que desempenha. Leio constantes recadinhos no facebook, bons e ruins, de um lado mães desapontadas com seus bolos, de outro, cake designers dando dicas valiosas sobre quão importante é um profissional estudar, se capacitar, testar seus conhecimentos e só depois disso aceitar encomendas. 

Como clientes, por nossa vez, ao enviarmos um orçamento, precisamos ter em mente que não é apenas um bolinho pequeno, é um trabalho que vai demandar atendimento por e-mail, telefone e dependendo da complexidade do projeto, reuniões, compra de material, pesquisa de referências, tempo de preparo, dedicação para confeitar, muitas horas e dias empenhados para que ele fique pronto e do jeitinho que você sonhou. Nenhum trabalho é caro demais, o preço cobrado é o que aquele profissional considera justo, cabe a nós agradecermos ou ajustarmos nosso orçamento. 

Normalmente os bolos são cobrados por fatias e elas custam a partir de R$4,00. Como dito aí em cima, cada profissional define seus critérios na hora de elaborar suas planilhas de preço.

Ao enviar um orçamento, não esqueça de detalhes importantes: Data, Local (caso você queira orçar a entrega), número de convidados e fotos para referência. 

Se você deseja se tornar um cake designer ou profissionalizar um trabalho que já faz, procure por cursos bacanas em sua cidade, vou fazer uma pesquisa sobre o que anda acontecendo nesse cenário de cursos e dar as dicas lá na fanpage. Você já curtiu? Ainda não? Então, clique aqui.

Eu adoraria falar mais e mais, tem várias outras coisas bacanas sobre esse tema que poderíamos abordar, estou pensando na possibilidade de convidar um cake designer para vir contar um pouco mais sobre como funciona a rotina de trabalho, o que é preciso para um bolo nascer (do atendimento ao cliente a ele prontinho), o que vocês acham?

Um beijo enorme, com carinho,
Lu.

{créditos: etsy, pinterest, google, elo7, receita fácil, paula rollemberg, mila bast, jorge casquilho, ateliê de bolos da lu, mycakeschool.com, sheknows.com}